Mais uma Carta

Esta não é mais uma carta de amor. São pensamentos soltos traduzidos em palavras. Pra que você possa entender o que eu também não entendo.

Amar não é ter que ter sempre certeza. É aceitar que ninguém é perfeito pra ninguém. É poder ser você mesmo e não precisar fingir. É tentar esquecer e não conseguir fugir.

Já pensei em te largar, já olhei tantas vezes pro lado. Mas quando penso em alguém, é por você que eu fecho os olhos. Sei que nunca fui perfeito, mas com você eu posso ser até eu mesmo que você vai entender.

Posso brincar de descobrir desenho em nuvens. Posso contar meus pesadelos e até minhas coisas fúteis. Posso tirar a tua roupa, posso fazer o que eu quiser. Posso perder o juízo, mas com você eu tô tranquilo.

Tranquilo…

Agora o que vamos fazer… eu também não sei. Afinal, será que amar é mesmo tudo?

Se isso não é amor, o que mais pode ser?

Estou aprendendo também..

…….

Escrita por Fernanda Mello e Rogério Flausino e gravada por Jota Quest – “O que eu também não entendo”.

Homenagem ao amor, seja lá o que ele for…

Como dizem… é uma incógnita que permanecerá e que não se poderá entender, apenas amar…

Anúncios

3 pensamentos sobre “Mais uma Carta

  1. Oi, Neo!

    Adorei ler esse post. De algum modo, me fez lembrar de uma música que eu amo, onde Djavan reflete sobre o amor, e num determinado momento diz assim:
    “Comparo sua chegada com a fuga de uma ilha/Tanto engorda quanto mata/Feito desgosto de filha…”

    Bjs, Neo, e inté!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s