Ares de Abandono

De todos os planos que foram feitos, nenhum ficou pra contar a história. É impressionante ver como uma vida, duas vidas, várias vidas se entrelaçam de maneira inesperada e inevitável. Sem eira nem beira, sem rumo, sem volta…

E justamente este fato de não ter volta me faz pensar na brevidade das coisas, dos encontros e até mesmo da vida. Quando os dias não confirmam os planos, quando os planos não confirmam os sonhos, quando os sonhos se despedaçam e destroem a vida. Porque não se vive sem sonho. E também não se sonha sem esperança. E não se espera sem vida.

Pode parecer estranho e confuso, mas é exatamente como me sinto: estranho e confuso. Não me acho mais em mim, nem nos meus sonhos e muito menos na esperança que eu costumava ter. O poeta disse que o descompasso e o desperdício são herdeiros da virtude que perdemos. E se a esperança for uma virtude? E se a gente perder a única virtude que nos mantém vivos?

Muitas perguntas, nenhuma resposta… como sempre. E acho até que já falei disso em algum momento. E acho que estou começando a me repetir, dado o desespero da falta de palavras.

Mas é que meu mundo gira em círculos. A tontura não me deixa pensar com clareza. Talvez por isso o abandono das palavras…

Não apenas ares de abandono, mas um abandono completo.

Quero continuar, permanecer. Quero estar e quero ser. Quero ficar e aprender. Quero amar e te ter…

Quero tudo, mesmo não tendo nada….

Mas quero o que mais importa… você!

____

Neo

Completo…

Com você eu sou de verdade

Não preciso fingir

Não preciso disfarçar

Não preciso me esconder em máscara alguma

Com você posso ser eu

E me sinto eu…

Completo em você…

_____

Neo

Mania?

– Perfeccionista?

– Não, senhor…

– …

– Dizem que é uma mania.

– Mania?

– É… começar as coisas e não terminar. Deixar pelo caminho, desistir, parar, interromper, desanimar… Tudo fica pelo caminho.

– Pelo caminho como?

– Não sei. Esperando.

– Esperando…

– É… esperando o bom senso, a vontade, a coragem, a decisão, o arrependimento, a força, a esperança. Sei lá o que. A verdade é que me perdi no caminho e agora já nem sei se tem caminho mais pra andar e esperar.

– Andar ou esperar?

– Se fosse andar não seria espera.

– E você está esperando?

– E tem o que esperar?

– Só você pode dizer

– Então não digo, prefiro esperar.

– E o caminho?

– Apenas finja que sabe como continuar este diálogo e quem sabe eu continuo com você. Enquanto isso, prefiro esperar.

– Foi você que falou de caminhar.

– Apenas pra te responder e dizer que não sei qual o caminho e o que esperar

– Sempre assim você?

– Assim como?

– Perfeccionista?

– Não senhor…

___

Neo

Armas…

E me apontaram armas que não matam

Mas são tão letais, que ferem

De uma ferida que mata em vida…

Uma ferida que sufoca a esperança

Enfraquece a fé

Mas que alimenta o amor que está aqui

E te pertence

Totalmente

Seu…

___

Neo

Sobre a Verdade…

A verdade é que você só me quer por perto para não perder o controle que pensa ter.

Uma verdade inconveniente que insiste em me esfregar na cara só pra eu não me esquecer de onde estou e para onde estou indo.

Mas a verdade – mais uma – é que eu já não sei que caminho é esse que estou percorrendo.

O dia está caindo e a noite chega com a velocidade de cavalos selvagens soltos em debandada…

Selvagens…

Soltos, livres…

Como nunca estive

Perto de você e de ninguém

Tão perto que a distância te impede de ouvir minha voz pedindo socorro…

Mas você só é capaz de ouvir a si mesmo

E a distância que se impôs chega quase a ser intransponível…

E este barulho da sua voz te impede de escutar o que todo mundo tem a dizer a sua volta

Te impede de escutar até o seu bom senso

Que embora você não perceba, existe aí em algum lugar…

Uma verdade inconveniente pra quem não quer perder o controle

Nem que seja…

Uma mentira…

___

Neo

Doze…

Quanto tempo dura um ano?

Doze meses? Doze ciclos? Doze tempos formando um tempo maior onde muita coisa pode acontecer…?

Onde tudo pode acontecer…

Onde tudo pode mudar

Onde a vida encontra um divisor de águas… e não consegue ser mais igual era antes

Porque a vida não precisa de um ano pra acontecer

Nem os melhores sentimentos

Nem o amor…

A vida acontece em um dia.

O amor acontece numa fração de segundo

Encontros possíveis numa fração minima do tempo, mas permanentes por uma vida…

Assim encontrei você…

E assim você existe aqui…

Em todas as conjugações do verbo existir…

___

Neo

Da série “Mensagens para um grande amor…”

Sim, é Frio…

Um súbito, e, talvez passageiro inverno na alma. Mas que tem se prolongado por mais tempo do que eu gostaria. Um inverno com nuances de permanência. Uma ausência total de respostas pra todas as perguntas que surgem no decorrer dos dias. Um misto de acontecimentos surpreendentes para os quais não se está preparado, mas que se tornam de repente um gigante a centímetros de distância.

As perguntas e a solidão me acompanham noite adentro.

Não há calma. Apenas a certeza de um vazio a ser preenchido.

Uma ausência de primavera, de outono e de verão. Chuva misturada com vento frio e solidão.

Medo do que pode acontecer daqui a pouco e incerteza com o que pode acontecer amanhã.

Uma amiga disse que “os invernos da alma sempre vão acontecer”, mas por vezes eu me pergunto se depois do inverno não deveria ter uma primavera, onde a gente pudesse se aquecer e derreter o gelo que se acomodou na alma.

As perguntas e a solidão me acompanham noite adentro.

O coração preenchido e a mente a procura de respostas

Que não vêm…

Sim.. é frio… e talvez… um súbito e passageiro inverno na alma…

___

Neo

Baseado no texto “Não é frio”, do blog Vigília Onírica da amiga Sonâmbula Insone. (Quase um plágio… será que há perdão?)