O S da Questão…

Solidão

Segurança

Sabedoria

Semelhança

Sarcasmo

Saúde

Simpatia

Sumiço

Sofrimento

Seleção

Sobriedade

Sexualidade

Serviço

Saudação

Sedentarismo

Sonegação

Sombra

Seca

Segredo

Surpresa

Sede

Sedução

Seguimento

Segregação

Sinônimo

Sensação

Sinfonia

Sofisticação

Solidariedade

Sotaque

Supérfluo

Status

Suavidade

Superfície

Sutileza

Superstição

Submissão

Sucessão

Sentimento

Sinceridade

Seriedade

Simplicidade

Serenidade

Saudade

Sorte

Sonho

Som

Silêncio…

___

Neo

Shift…

Só pra dizer o que já está dito, repetido, confirmado e reclamado.

É difícil mudar.

Seja qual for a mudança, nunca estamos preparados para ela. Acho até que mesmo com toda mobilidade que temos, não somos seres assim tão móveis. Acabamos nos acostumando ao lugar de conforto. Criamos raízes, referência e nos atrelamos a tudo que nos passa um mínimo de segurança. Aprendemos assim e acabamos acreditando que esta é a fórmula do sucesso. Isso talvez explique nossa resistência e dificuldade em aceitar e enfrentar mudanças.

Isso também explique, talvez, o fato de alguns de nós permanecerem no mesmo lugar a vida toda e jamais se atrever a arriscar algo. Pode doer, pode dar errado. As mudanças impostas são ainda piores, pois você tem que simplesmente executá-las e se virar.

O detalhe irônico de tudo é que hoje tudo muda numa velocidade tão impressionante que o que era pela manhã pode já não ser mais no meio da tarde. Os grandes sucessos são imediatos, os grandes fracassos também. Potencializados pela mídia e a tecnologia da informação.

Tudo é muito urgente e inadiável. Mas ainda somos gente. Com raízes e laços. E levamos tempo pra absorver novidades. Uns mais, outros menos, mas tem sempre um muro que se levanta lá dentro da gente quando o menor sinal de novidade surge no ar…

E é bem isso que nos torna tão espetaculares.

Abraço!

___

Neo

Texto escrito na base do improviso num notebook com conexão via modem 3G (já que a internet ainda não foi ligada) e em meio a pilhas de caixas  e coisas espalhadas após um final de semana intenso  de mudança… literalmente falando…

Lettering #5

A inteligência é a ferramenta que o corpo usa para transformar sonhos em realidade…

___

Neo

Flores…

Uma vizinha decretou a morte de um ipê que florescia à frente da sua casa, porque ele sujava o chão e dava muito trabalho para sua vassoura.

Seus olhos não viam a beleza. Só o lixo…
___
Neo

Justo Onde Deve Estar…

Fecho as portas

Olhos e sentidos se perderam

Espelho que reflete pouco

Vem você e na boca o gosto do dizer

Da janela ficam espiando e é só sufocar um pouco

Dão valor pro ar

Eu disse, como vai você?

Eu disse, lembro de você…

Talvez seja o início de uma fase que ainda não aconteceu

Um sopro no vazio da vida, quem ainda não vive

Como queria?

Como teria?

O que dirá divagando devagar e sempre

Indo pra algum lugar…

Talvez seja o início de uma fila

Caso eu canse, guarde o meu lugar

A sonora presença debochada de seu jeito me move

Como sentia

Cometeria

O absurdo abstrato tá na sua mente

Justo onde deve estar…

___

Neo

Da música Impressões, de Jay Vaquer 

Make the Diference…

Navegando nesta grande rede me deparei com uma história chocante de superação e garra. Mais uma dessas histórias que mostram que quando a gente se junta, tem uma força imensa. Mostra que quando nossa força vira ação, somos capazes de muita coisa, somos capazes até mesmo de chamar a atenção de quem pode mais. De quem pode ajudar. Talvez você até já tenha visto esta história, mas achei que deveria compartilhar aqui.

Panyee FC, um time de futebol criado em 1986 por crianças em uma vila flutuante na Tailândia, fez algo impensável. A história acabou dando origem a uma campanha publicitária do banco Thai Military Bank, chamada “Make the Diference”, em português “Faça a Diferença”.

Segue abaixo uma tradução livre do depoimento no vídeo:

….

Na ilha onde vivemos todos gostávamos de futebol, mas ninguém jamais havia jogado. Vivemos em uma pequena aldeia flutuante, onde é muito difícil encontrar espaço. Os únicos esportes praticados aqui são a corrida de barcos, ou então contar histórias sobre o tamanho dos peixes pescados. Um dia um dos meninos teve uma idéia: ele sugeriu que formássemos nosso próprio time. Quando as outras aldeias ouviram o plano, acharam ridículo. Percebemos que eles estavam certos. Não tínhamos lugar pra jogar e nem mesmo para treinar. Tínhamos a equipe, mas não o campo, e isso era um problema por causa do lugar onde vivemos. Teríamos que criar nosso próprio espaço.

Então, começamos recolhendo madeira velha em torno da aldeia. Amarramos algumas jangadas de pescadores em conjunto e trabalhamos muito depois das aulas para finalizar a construção do campo flutuante. Depois de muito trabalho, tínhamos o nosso próprio campo. Ele era instável e tinha muitas pontas de pregos em todos os lugares. A bola caiu na água muitas vezes, assim como nós. Então aprendemos a jogar em uma superfície molhada e escorregadia.

Numa certa manhã um garoto veio trazendo um panfleto do continente. Era sobre um torneio de um um dia. Não sabíamos se éramos bons o suficiente pra entrar, mas decidimos que participaríamos de qualquer jeito. Chegamos no torneio muito nervosos, mas conforme jogamos percebemos que íamos bem. Nossas habilidades tinham se desenvolvido no campo de madeira e as grandes traves eram um alvo muito mais fácil do que nossos pequenos gols. Então chegamos à semifinal. Neste jogo começamos mal. Chovia muito e nossas chuteiras se encheram de água e isso nos atrapalhava. Depois de um tempo ruim, precisávamos fazer algo, então tiramos nossas chuteiras e começamos a jogar melhor, marcando 2 gols e igualando o placar, mas um gol no último minuto deu a vitória ao outro time. Ficamos desapontados, mas felizes por termos ido tão longe. E o restante da vila estava orgulhosa de nós. Depois disso, o futebol virou o passatempo número um. Também foi construído um novo campo liso que não tem pontas.

O clube que eles começaram é agora considerado um dos melhores times de futebol do sul da Tailândia. Eles são Campeões da Juventude de 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009 e 2010.

Qualquer que seja o desafio da vida, se você acha que pode fazer a diferença… dizemos que você pode!

___

Abraços

Neo

450 Vezes TOS…

E aí grande galera!!

Todos os Sentidos – TOS chegou à marca de 450 publicações na semana passada. São 450 títulos que passaram por crônicas, ensaios, publicações de revistas, músicas, piadas, imagens e vídeos, entre outros. Na verdade, a grande mistura que o TOS sempre quis ser.

Vários autores amigos também deixaram sua marca por aqui, mas agora o TOS prossegue apenas com Neo.

Para mim, uma ótima notícia, já que nunca fiquei tanto tempo no ar como agora. Esta experiência, que começou em Julho de 2008, tem outros números, como as 32 categorias de publicações, 1626 comentários (a participação de vocês é importante e empolgante!!), 710 tags e 46.999 acessos até o momento que este post foi escrito.

Neste tempo, o TOS e eu fizemos muitos amigos por aqui, que sempre visitaram e até linkaram o TOS em seus blogs. Outros, pra chegar aqui, pesquisaram termos como “homem pensando na vida”, “os sentidos”, “reencontros”, “alcool x gasolina”, “frases de funkeira”.

Que? Frases de funkeira?

Bom… acho que chega de números e estatísticas. Vai que a coisa se complica e o Neo aqui não consegue explicar depois. Mas, falando em frase de funkeira, aproveito pra republicar aqui a frase que de repente motivou esta busca aí de cima:

“Qualquer coisa imbecil demais para ser dita é cantada.”

E isso foi escrito neste post aqui!

Então é isso. Por hoje é só. Espero vocês para os próximos 450 posts de Todos os Sentidos.

Abraços!!

___

Neo